Sobre Peixes
Tamanho da Letra Tamanho da Letra Menor Tamanho da Letra Normal Tamanho da Letra Maior

O Setor de Pescados

Pescados no Brasil



Características Básicas do Setor

Pescado e a Economia Brasileira

O Brasil produz mais de um milhão de toneladas/ano de pescado, gerando um PIB pesqueiro de R$ 5 bilhões, ocupando 800 mil profissionais entre pescadores e aquicultores e gerando 3,5 milhões de empregos diretos e indiretos. O potencial de crescimento é enorme e o Brasil pode se tornar um dos maiores produtores mundiais de pescado.

Evolução da Balança Comercial de Pescados

 

 

Contribuições às Exportações

A balança comercial de pescado em 2008 teve saldo negativo de US$ 418 milhões, um aumento de 62% em relação ao ano anterior. As exportações somaram US$ 239 milhões e as importações US$ 658 milhões em 2008.

A meta do Brasil é exportar US$ 1,2 bilhão em 2011, quando o país deverá produzir cerca de 2 milhões de toneladas, aumento substancial em relação à produção do ano de 1998, que foi de apenas 710 mil toneladas.

Contribuição para Emprego e Renda

É estimado que aproximadamente três milhões de pessoas dependam direta ou indiretamente da indústria pesqueira e da aquicultura ao longo das cadeias produtivas. Mais de 900.000 empregos dependem diretamente do setor de pescado, sendo que dentre os pescadores 90% são artesanais, e quase todo o restante está envolvido na pesca costeira industrial. Embarcações envolvidas em pesca oceânica representam 0,4% do total e 3% das industriais.

Estima-se que até o ano 2011 poderão ser gerados mais de 0,8 milhão de novos empregos diretos e indiretos, principalmente por meio da aqüicultura. Com esses novos empregos, teríamos um total de 1,2 milhão de empregos diretos e outros 2,6 milhões indiretos, totalizando três milhões e oitocentos mil empregos diretos e indiretos na pesca e aqüicultura para 2011. Portanto, é um setor que se mostra promissor tanto no âmbito econômico quanto no social. Com a futura mecanização e aumento de produtividade do setor, estima-se que apesar de o aumento de emprego no setor continuar, ele diminuirá substancialmente de ritmo, devendo se estabilizar em torno de dois milhões diretos e oito milhões indiretos por volta do ano 2030.