A- A A+

Plano Nacional da Cultura Exportadora- PNCE

Originalmente, o Plano Nacional da Cultura Exportadora- PNCE foi lançado em 2012, com o propósito de mapear a oferta e a demanda anual por iniciativas voltadas para a difusão da cultura exportadora e contribuir para a melhoria do desempenho e diversificação das exportações, mediante uma oferta mais organizada das atividades então oferecidas pelas instituições participantes do Plano.

Em 2015 o Governo Federal lançou o Plano Nacional de Exportações-PNE que prevê a incidência dos esforços sobre três dimensões das vendas externas: i) a composição da pauta exportadora; ii) os mercados de destino; e iii) a origem das exportações brasileiras (maior diversificação regional da base exportadora).

Entre as metas estabelecidas pelo Plano Nacional de Exportações-PNE para 2015 incluiu-se o lançamento do novo Plano Nacional da Cultura Exportadora (PNCE) e a criação de comitês estaduais para: i) melhorar governança e diálogo com os atores envolvidos no PNCE; ii) realizar diagnósticos setoriais da atividade exportadora nos estados; iii) selecionar as empresas a serem acompanhadas pelo Plano; iv) monitorar e avaliar as atividades do PNCE. Está prevista, também, a realização de ações continuadas e específicas de apoio às exportações nos estados brasileiros, de forma a melhor atender às necessidades de cada estado.

Deste modo, o PNCE foi inserido no contexto do Plano Nacional de Exportações-PNE como uma de suas vertentes de atuação e recebeu uma série de ajustes e aperfeiçoamentos com o objetivo de proporcionar uma melhor definição das atividades necessárias às empresas e, também, com o propósito de encadear e organizar estas atividades de acordo com o conceito de “trilha de internacionalização”. As atividades disponibilizadas pelas diferentes instituições que participam do PNCE passaram a ser distribuídas em etapas que possibilitam o enquadramento das empresas de acordo com o estágio em que se encontram em relação ao ingresso no mercado externo.

Esta metodologia possibilitará um melhor rendimento do PNCE como um todo, na medida em que as empresas terão acesso a atividades adequadas ao estágio em que se encontram no momento em que ingressarem na referida “trilha de internacionalização” e, também, permitirá por parte da instituição gestora do PNCE, dos estados e instituições participantes, um melhor acompanhamento e interação com as empresas e respectivos setores.

A gestão do PNCE está sob responsabilidade do MDIC/SECEX, que coordena as atividades previstas no Plano, afere os resultados obtidos e em conjunto com os estados e instituições que participam do Plano, propõe medidas que visem o seu aperfeiçoamento.

A organização do PNCE ocorrerá localmente tendo como base as Unidades da Federação, onde se propõe a formação de uma estrutura gerencial local representada por um comitê gestor, cuja composição será variável de um estado para outro, em função das peculiaridades locais e instituições participantes. (220316)

Para saber mais sobre o PNCE, clique aqui.